sábado, 11 de maio de 2019

Não adianta trocar de governo, temos que trocar de sistema

Bolsonaro tenta ferrar com a saúde pública em todos os sentidos. Não importa quantos vão morrer por falta de médicos, remédios, hospitais, enfim, o importante é beneficiar os empresários do sistema privado de saúde que bancaram sua campanha. Ele também tenta ferrar com a educação pública, a começar por adotar o ensino à distância desde o fundamental. Não importa o número de servidores exonerados ou a privação do desenvolvimento social das crianças e adolescentes... O importante é beneficiar os empresários do sistema privado de educação que bancaram sua campanha

Bolsonaro alega que a previdência quebrou, e para que as próximas gerações se aposentem ele terá que tirar a nossa aposentadoria. Só um doente mental talvez encontre algum sentido nestas afirmações... Mas o importante é beneficiar os empresários da previdência privada que bancaram sua campanha. Ele se aproveita da criminalidade para tentar nos convencer de que temos que nos armar até os dentes, mas armar o povo ao invés de desarmar a bandidagem surte o mesmo efeito que jogar gasolina para apagar um incêndio. Não importa que assassinatos em massa como os que ocorrem nos Estados Unidos virem moda por aqui, o que importa é beneficiar os empresários da indústria armamentista (incluindo os norte americanos) que bancaram sua campanha. 

Bolsonaro se diz preocupado com o isolamento dos indígenas e já cogita confiscar suas terras, o que vai lhes empurrar de vez para as áreas urbanas. Não importa se vão morrer debaixo de algum viaduto, o importante pra ele é beneficiar os empresários do agronegócio que bancaram sua campanha. Bolsonaro também diz que a fiscalização ambiental é um atraso à economia e resolve sucatear os órgãos fiscalizadores... Não importa que tragédias tipo as que ocorreram em Mariana e Brumadinho se tornem lugar comum, o importante é beneficiar os empresários da mineração que bancaram sua campanha

Bolsonaro quer transferir o fim da inspeção sanitária nos frigoríficos por parte do governo, daqui pra frente ficará por conta dos proprietários. Não importa se vamos consumir carne podre, o importante é beneficiar os empresários deste setor que bancaram sua campanha. Bolsonaro quer cortar as verbas para a agricultura familiar, responsável por 80% dos empregos no campo, como se já não bastasse, seu governo bate recorde em liberação de agrotóxicos. 166 liberados só no primeiro semestre deste ano, e destes, 24 são considerados altamente tóxicos e 49 se encontram dentro da escala dos extremamente tóxicos. Não importa nossa expectativa de vida ir para o brejo, o que importa é beneficiar os empresários do ramo de agrotóxicos que bancaram sua campanha

Bolsonaro alega que os empresários pararam de contratar devido ao "excesso" de direitos trabalhistas, no entanto não há garantia alguma de que aumentarão as contratações ou nosso salário caso abríssemos mão destes direitos... Bolsonaro aposta pesado na estupidez do eleitor, por isso não se intimida em sinalizar tão abertamente em favor do mercado e contra nossos direitos. Além do mais é preciso atrair mais financiadores para suas próximas campanhas, tão importante quanto beneficiar os que já o financiaram.

Apesar das provas gritantes de que Bolsonaro é um legítimo representante do capeta, as igrejas tentam nos convencer de que ele é um enviado do divino. Enquanto isso as emissoras de rádio e televisão seguem pintando de "terroristas" quaisquer movimentos sociais de oposição a ele. Mas afinal, o que seria dos detentores dos grandes meios de comunicação sem as verbas estatais, né verdade? Não menos complicada seria a situação dos exploradores da fé tipo Edir Macedo, se o enviado do divino de repente passasse a lhes cobrar impostos

Não existe antagonismo entre nenhum politico e o sistema, até porque não existe capitalismo sem estado. É o estado nas mãos de capachos do mercado feito Bolsonaro que garante a nossa exploração por parte dos empresários. Empresários estes que lucram mais com a nossa desgraça do que pela sua competência. Bolsonaro ainda faz graça por ai dizendo que são estes parasitas que produzem a riqueza, não o trabalhador.

Bolsonaro não é contra o sistema, não traz nada de novo, é só mais um vigarista cuja sobrevivência política deve-se tanto aos otários que o elegeram deputado por 30 anos e agora presidente da república, quanto sua defesa ferrenha em favor dos privilégios dos que bancam por décadas as suas campanhas... O mercado sempre em primeiro lugar, nem que isso custe as nossas vidas. Do povo, Bolsonaro e seus pares só precisam do voto, como o próprio já insinuou. Voto que por sinal só existe para convencer a humanidade de que ela não está refém de uma ditadura capitalista... Se o voto representasse ameaça real a este sistema imundo, os empresários já teriam dado ordem para que os líderes das suas nações tirassem do povo este direito também